ANVISA e o Programa Nacional de Imunização (PNI) orientam suspensão de vacina da Astrazeneca/Oxford para gestantes

sexta-feira, 14 de maio de 2021

anvisa-e-o-programa-nacional-de-imunizacao

Com a recomendação da Anvisa endossado pelo PNI em relação à suspensão imediata da vacinação contra Covid-19 da AstraZeneca/Oxford em gestantes e puérperas, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) esclarece que:

A Febrasgo adverte que a infecção pela Covid 19 em gestantes e puérperas está associada a risco elevado de morbidade e mortalidade
A suspensão foi resultado de monitoramento de eventos adversos com a vacina da AstraZeneca/Oxford que utiliza vetor viral, e é categoria C. Foi relatado um possível efeito adverso grave em gestante após a vacinação. O caso ainda está sendo analisado para a verificação de causalidade com a vacinação.

As outras vacinas a serem disponibilizadas às gestantes são de categoria B (produzidas por meio de plataforma de vírus inativado, mRNA). A vacina de vírus inativado é produzida com tecnologias semelhantes às vacinas atualmente ofertadas a gestantes no PNI como, por exemplo, a vacina da gripe. Por outro lado, a vacina da Pfizer já publicou trabalhos mostrando a segurança da aplicação em gestantes.

A Febrasgo orienta que as gestantes e puérperas já vacinadas com a primeira dose da referida vacina aguardem novas informações e orientações.
Estamos monitorando a situação e atualizaremos à medida que novas informações forem divulgadas.

 

Comissão Nacional Especializada de Vacinas
Comissão Provisória da Febrasgo COVID-19 e Gestação

Bioteste